FUNDAMENTOS BÍBLICOS DA FÉ CRISTÃ

Os fundamentos bíblicos da fé cristã são as verdades eternas que se confirmam na leitura dos livros da Bíblia Sagrada. São fatos relacionados a tópicos muito importantes, a respeito dos quais um genuíno cristão não poderá discordar.

É compreensível que cristãos discordem acerca de assuntos circunstanciais, para os quais não há forte embasamento bíblico e que não impliquem na salvação da alma. Mas não pode haver discordância quanto ao que está claramente revelado nas Escrituras, pois opor-se à Palavra de Deus é algo que certamente trará conseqüências eternas.

Como já sabiam os primeiros cristãos, “a Escritura com a Escritura se interpreta.” Sendo assim, é imprescindível que todo cristão, o mais breve possível, conheça os fundamentos da sua fé e saiba encontrá-los em sua Bíblia. Somente dessa forma estará protegido de tantas heresias (ensinamentos errados) que tem se difundido em nossos dias, principalmente pela internet.

A seguir há uma lista onde cada fundamento bíblico da fé cristã foi resumido numa única sentença. Assim se tornará mais fácil a sua compreensão e assimilação. No entanto, isso não significa que dissemos tudo quanto se pode dizer sobre cada tópico, mas sim que foi dito tudo quanto é necessário para nos protegermos de falsas doutrinas.

Logo abaixo de cada sentença há uma série de referências bíblicas, que concordam entre si e das quais resulta cada fundamento. A lista de referências não é exaustiva, podendo acrescentar-se ainda mais textos bíblicos, porém já é o bastante para se confirmar a veracidade de cada doutrina que se revela claramente nas Escrituras.

As Escrituras nos revelam que:

Deus é o único criador, possuidor e sustentador do universo, o qual, mesmo sendo um só Deus, perfeito, imutável, onipotente, onisciente, onipresente e presciente, também se revela distintamente em três pessoas divinas: Pai, Filho e Espírito Santo – iguais em essência, perfeição e atributos divinos, mas com ofícios distintos e harmônicos.
Gn 1:1; Dt 4:39; Ne 9:6; Jó 34:21; 42:2; Sl 115:3; 139:7-10; 147:5; Pv 15:3; Is 42:8-9; 43:13; 44:24; 45:12,18; 46:9-11; 66:1-2; Jr 23:23-24; Dn 2:28; Mt 3:16-17; 11:27; 19:26; 24:36; 28:18,19; Lc 1:37; Jo 1:10;18; At 1:24; 3:18; 17:24-28; Rm 8:29; 1Co 8:6; 12:4-6; 2Co 13:13-14; Ef 2:18; 3:9; Hb 4:13; 1Pe 1:2; 1Jo 3:20; 5:7.

Jesus Cristo é o Filho unigênito de Deus, co-autor de toda criação, único Senhor e Salvador da humanidade, o qual deixou temporariamente a sua glória com o Pai para nascer como homem, viver sem pecado, vencer o diabo e seus demônios, proclamar o evangelho, ensinar sobre o reino de Deus, fazer discípulos, edificar a igreja, morrer pelos pecadores, ressuscitar para justificação dos que nele crêem, e subir novamente aos céus, de onde batiza no Espírito Santo, estando à destra do Pai, de quem recebeu todo o poder, e de onde retornará no fim dos tempos para ressuscitar os justos, eliminar totalmente o mal e criar novos céus e nova terra, onde estabelecerá o seu reino de justiça para sempre.
Mt 3:11; 11:27; 13:40-43; 25:31-46; 28:18-20; Mc 3:14; Lc 1:32-33; 24:49; Mc 1:8; Lc 3:16; Jo 1:1-5,9- 18,29-34; 5:22-29; 7:39; 14:6,16-17; 16:7,15; At 1:4-5; 2:22-36; 5:30-32; 10:36-42; Rm 4:25; 14:9-12; 1Co 8:6; 2Co 5:10; Ef 1:20-22; 4:8-10; Fp 2:5-11; Cl 1:16-18; 2:15; 2Ts 1:7-10; 1Tm 2:5; Tt 3:5-6; Hb 1:2; 2:14; 12:24; 2Pe 3:11-13; 1Jo 3:8; Ap 21:1-7.

O Espírito Santo, também chamado de Consolador, é o indispensável cooperador da igreja, enviado pelo Senhor para habitar em cada verdadeiro cristão, a fim de lhes orientar, encorajar e capacitar com poder, tanto por meio de dons para a edificação da igreja, quanto pelo fruto resultante na vida de quem dele se encher.
Mt 10:1,19-20; Mc 16:17-18; Lc 4:18-19; 24:49; Jo 7:39; 14:15-17,26; 15:26-27; 16:7-15; At 1:4-5,8; 2:4,33; 4:29-31; 9:31; 10:44-46; 11:15-16; 13:2,52; 19:1-6; Rm 5:5; 8:15-16,26- 27; 12:6-8; 14:17; 1Co 12:4-13,28- 31; 14:1-33; Gl 5:22-25; Ef 1:13-14; 4:7-15; Hb 2:3-4; 1Pe 1:12

A Bíblia é completamente inspirada pelo Espírito Santo, não havendo outra escritura da qual se possa dizer o mesmo, sendo a nossa única fonte de orientação espiritual e prática cristã.
Jr 23:29; Pv 30:5; Is 40:8; 55:11; Mt 24:35; Mc 12:24; At 1:16; 28:25; Rm 3:2; Gl 3:8; 2Tm 3:16-17; 4:1-4; Hb 4:12; 1Pe 1:24-25; 2Pe 1:20-21

O pecado é a transgressão da vontade de Deus, cuja consequência é a morte, tanto física quanto espiritual.
Gn 2:17; Ez 18:4,20; Rm 5:12; Tg 1:15, 1Jo 3:4

A humanidade, por sua própria culpa, está completamente escravizada ao pecado e condenada à perdição eterna, podendo, no entanto, cada indivíduo ser liberto desta prática e salvo de suas consequências por meio da fé em Jesus Cristo.
Mt 9:6; Jo 8:34-36; Rm 3:23-26; 5:17-21; 6:21-23; 8:1-4; 2Co 5:21; Gl 3:13; Ef 2:1-7; 5:2; 1Pe 2:24; 3:18; 1Jo 2:1-2; 3:5,8

A salvação é obtida somente pela graça de Deus mediante a perseverante fé em Jesus Cristo, no qual todo crente é capacitado a permanecer com o auxílio do Espírito Santo.
Mt 10:32-33; 20:28; Mc 16:15-16; Jo 3:14-18,36; 5:24; 14:6; At 4:12; 10:42-43; 15:11; Rm 3:23-26; 5:20-21; 6:21-23; 10:9-10; Ef 2:8-10; 1Tm 2:5-6; 1Jo 5:11-12

A conversão é a novidade de vida experimentada por uma pessoa realmente salva, na qual a Palavra e o Espírito Santo estão realmente operando uma regeneração, que pode ser evidenciada pelo abandono de pecados e empenho de se viver para a glória de Deus.
Jo 1:12-13; 3:3-7; At 3:19; 26:18; Rm 6:4,19,22; 1Co:1:2; 3:16; 6:19-20; 2Co 7:1; Gl 5:16-26; 6:15; Ef 1:4, 2:10; 4:1-3; Cl 3:5-14; 1Ts 4:1-8; 2Ts 2:13; Tt 3:3-8; Hb 12:14; Tg 1:18; 1Pe 1:2-3,13- 16, 23; 2:11-12; 1Jo 2:6; 3:9; 5:1-5

A igreja é a congregação dos convertidos a Cristo, os quais, não importando o local onde se reúnam, organizam-se segundo os dons e a direção que receberam do Senhor, para, no poder do Espírito Santo, mutuamente se edificar na Palavra, pregar o evangelho, fazer discípulos de Cristo e prevalecer em nome de Jesus contra todo poder das trevas, destruindo as obras do diabo e expandindo o reino de Deus por toda a terra.
Mt 16:15-19; 18:15-20; Jo 10:27-30; At 9:31; 11:26; 12:5; 13:1-3; 14:23,27; 15:3-4,22,41; 16:4-5; 20:17,28; Rm 16:5,23; 1Co 1:2; 3:9-11; 4:17; 6:1-5; 14:12; 16:1-3,19; 2Co 6:16; 11:8; Ef 1:22-23; 2:19-22; 3:10-12; 4:11-13; 5:23-32; Fp 4:15; Cl 1:18,24; 4:15; 1Tm 3:15-16; Fm 2; Hb 3:1-6; Tg 5:14; 1Pe 2:4-10; Ap 1:4; 22:16.

O reino de Deus é o governo perfeito de Cristo sobre a humanidade, o qual se iniciou na sua primeira vinda, se manifesta parcialmente ao mundo através da igreja e será completamente estabelecido por ocasião do seu retorno.
Sl 145:13; Is 9:6-7; Dn 2:4; 7:18,27; Mt 12:28; 21:43; 28:18; Lc 1:32-33; 11:20; 1Co 15:24-25, 50-52; Ef 1:20-22; Ap 11:15

Os anjos são seres espirituais que servem a Deus, colaborando com a igreja para o cumprimento da sua missão, mas para os quais não devemos orar e nem prestar adoração.
Sl 103:20-21; Dn 3:28; Mt 4:11; 13:41,49; 16:27; 18:10; 22:30; 24:31; 25:31; 26:53; Lc 1:19; 2:8-14; 15:10; 16:22; 20:36; 24:23; Jo 20:12; Gl 1:8; Hb 1:14; Ap 7:11; 22:8-9

O diabo, também chamado de Satanás, tentador, dragão e antiga serpente, é um ser espiritual maligno que se opõem ao ser humano, procurando enganá-lo por meio de seus anjos, os demônios, que tentam seduzi-lo ao pecado, mas que já foram, tanto o diabo quanto os demônios, vencidos por Jesus Cristo na cruz do calvário, não tendo poder contra a igreja do Senhor, mas estando destinados à condenação eterna no lago de fogo após o juízo final.
Gn 3:15; 1Cr 21;1; Jó 1:6; Mt 4:1,10; 8:29; 13:39; 16:23; 25:41; Mc 1:13; Lc 4:13; 8:12; 10:18; 13:16; 22:3,31; Jo 8:44; 13:2; At 5:3; 10:38; 26:18; Rm 16:20; 1Co 7:5; 2Co 2:10; 11:14; Ef 4:27; 6:11; Cl 2:15; 1Ts 2:18; 2Ts 2:9; 1Tm 5:15; 2Tm 2:26; Hb 2:14; Tg 4:7; 1Pe 5:8; 2Pe 2:4; 1Jo 3:8; Jd 6; Ap 2:10; 12:9; 20:2,10

A segunda vinda de Cristo será o seu retorno visível, manifestando-se ao mundo com poder e grande glória, em dia e hora que ninguém sabe, embora seja antecedido por sinais, e que ocorrerá para que o Senhor julgue todos os vivos e os mortos, recompensando a cada um segundo as suas obras, a fim de estabelecer o seu reino de justiça, extirpando todo mal.
Mt 16:27; 24:27,36,44; 25:31-32; 26:64; Mc 14:62; Lc 12:40; 21:27; Jo 14:3; At 1:11; 1Co 4:5; Fp 3:20,21; 1Ts 5:2,23; 2Ts 1:7-8; 1Tm 6:14; 2Tm 4:1; Tt 2:13; Hb 9:28; 10:37; Tg 5:8; 2Pe 3:10; 1Jo 2:28; Jd 14,15; Ap 1:7; 3:11; 16:15; 22:7,20

A ressurreição será um evento sobrenatural, que ocorrerá por ocasião da segunda vinda de Cristo, no qual as almas de todos os seres humanos ressurgirão em seus corpos físicos, seja para a salvação eterna, seja para a condenação eterna.
Sl 49:15; 71:20; Is 26:19; Ez 37:12; Os 13:14; Dn 12:2; Mt 22:29-32; Lc 20:35-36; Jo 5:28-29; 6:40; 11:23-25; At 24:15; Rm 6:5; 1Co 15:20-23;51- 53; 2Co 4:14; Fp 3:11; 1Ts 4:13-16; Hb 6:2; 1Pe 1:3; Ap 11:11; 20:5-6,13.

O arrebatamento será um evento sobrenatural, que ocorrerá na segunda vinda de Cristo, no qual os salvos que ressuscitaram e os que estiverem vivos serão retirados da terra ao encontro do Senhor nos ares, sendo instantaneamente transformados em corpos incorruptíveis.
Mt 24:30-31; 38-41; Mc 13:26-27; Lc 17:26-36; 1Co 15:52; Fp 3:21; 1Ts 4:17; 2Ts 2:1; Ap 11:12; 12:5.

O juízo final será um evento sobrenatural, onde cada ser humano que viveu sobre a terra será julgado perante Deus por seus feitos e receberá a vida eterna ou a condenação eterna.
Sl 62:12; Ec 12:14; Jr 17:10; 32:19; Ez 17:27; Dn 7:10; Mt 13:49-50; 16:27; 25:31-33; Rm 2:1-16; 2Co 5:10; Ef 6:8; 2Ts 1:7-10; Hb 9:27; 1Pe 1:17; 2Pe 2:9; 3:7; 1Jo 4:17; Jd 14,15; Ap 20:11-15.

ADVERTÊNCIA

Certos tópicos polêmicos não fazem parte dos fundamentos bíblicos da fé cristã. Podemos citar como exemplo a predestinação, a grande tribulação e o milênio. Há diferentes interpretações teológicas quanto a esses assuntos e, seja qual for a sua interpretação, isso não trará implicações para com a salvação da alma. Em suma, não é preciso haver consenso a esse respeito para que alguém seja um verdadeiro cristão. Por esse motivo eles não foram aqui mencionados. Aconselhamos cautela quanto ao exame desses temas, pois os mesmos têm causado desnecessária e lamentável contenda entre irmãos em Cristo.

Alan Capriles